Juros Compostos: O “Marvado” Favorito?


Para Albert Einstein, o Juro Composto foi a maior obra criativa do intelecto humano, sendo considerada por este (Einstein), como a oitava maravilha do mundo. Esta foi a definição de juros compostos que mais me marcou, uma vez que esta definição nunca tinha feito parte de minha vida, uma vez que eu conhecia apenas o outro lado dessa moeda, onde nada era lindo.

Confesso que não conseguia entender, o porquê daquela definição, uma definição completamente diferente da minha realidade. Para mim, o juro composto sempre foi o meu problema e também o problema de milhões de pessoas que se enforcavam em dívidas que cresciam em efeito “bola de neve”.

E foi por meio deste conflito interno, que interessei-me por estudar e tentar compreender o outro lado do conceito sobre os juros compostos, uma vez que a “face ruim” do “mardito” juro composto já havia deixado marcas tristes e profundas em minha pela e alma. Assim, iniciei a caça ao mundo colorido dos juros compostos.

Assim, com o intuito de começar a entender o mecanismo por trás do sistema dos juros compostos, comecei a realizar uma flexão pautada em três pilares centrais, os quais foram:

1) Pra que tipo de pessoas essa definição de Einstein se aplica?

2) Como essas pessoas pensam a respeito dos juros compostos?

3) Qual é a principal variável influenciadora nos Juros Compostos?

De posse desses questionamentos, iniciei a minha procura por respostas, respostas estas que quero compartilhar com você. Respostas que fizeram a diferença em minha vida e espero que possa fazer a diferença na vida de você também.


Gostando do nosso conteúdo?

 

Fique por dentro das nossas atualizações e receba em primeira mão tudo o que você precisa para aposentar de forma planejada e prosperar financeiramente!

Cadastrar Aqui! É Grátis!


Então, vamos por parte.

1) Pra que tipo de pessoa essa definição de Einstein se aplica?

Não sei o porquê, mas para responder esta primeira indagação, pensei, em um estalar de dedos, no Banco. Deve ter sido pelo trauma reflexo dos inúmeros pagamentos que fiz à eles, sendo, portanto, o objeto de estudo. De posse do objeto de estudo, podemos passar para a minha próxima indagação.

Informação Adicional: Nesta reflexão, não levarei em consideração o nível de “agiotagem legalizada” que estas instituições praticam atualmente, alçando um olhar reflexivo apenas no que diz respeito aos conceitos financeiros legais e condizentes com as boas práticas morais e principalmente, humanas.

2) Como essas pessoas pensam a respeito dos juros compostos?

Infelizmente, no que diz respeito à minha relação com o dinheiro, sentia-me um completo “analfabeto financeiro”. Digo isso com tristeza, pois amarguei as dores de uma vida de privações, onde paguei “JUROS COMPOSTOS”, à taxas elevadíssimas, por causa de meu desconhecimento sobre o assunto.

Aprendi em minhas aulas de economia, que o mercado, em geral, é regido pela lei da demanda e oferta, lei esta que tem como propósito central estabelecer o equilíbrio de mercado. Por meio desta lei, pude perceber que o hábito do meu desequilíbrio financeiro era extremamente oneroso para minhas finanças.

Assim, iniciei um profundo processo de reflexão a respeito de meus hábitos financeiros. A primeira e a mais importante decisão que tomei, no mesmo instante que eu recebia o meu salário, era destinar 3% do montante total que eu recebia para uma conta que chamei de “Futuro Melhor”. Eu sei, 3% da renda é muito pouco se comparado com o percentual que os “gurus” de finanças aconselham, mas este era o percentual que eu poderia destinar para a construção do meu futuro melhor. E com os outros 97% da renda que sobrava, eu me planejava para que fosse alocado da melhor forma a fim de que pudesse atender os meus propósitos e necessidades.

A partir do momento que tive este simples mudança de pensamento, comecei a enxergar, mesmo que em doses pequenas, o outro lado da moeda. Esta simples mudança de pensamento, mudou completamente a minha visão sobre os juros compostos, uma vez que estava treinando a minha mente a pensar em abundância e não mais em escassez financeira.

3) Qual é a principal variável influenciadora nos Juros Compostos? TEMPO

De posse dessa mentalidade, descobri, escondido sobre os juros compostos, uma variável extremamente importante no processo de construção de um futuro melhor. A minha descoberta foi realizada de forma acidental.

E ai Marcos, o que você descobriu?

Descobri que a grande magia dos Juros Compostos está na utilização de seus mecanismos ao longo do TEMPO. Taí, TEMPO é a palavra mais importante no conceito dos juros compostos. Aprendi que a grande magia dos juros compostos está em converter pequenos valores financeiros, ao longo do tempo, em verdadeiros patrimônios que garantem um futuro melhor.

Porém, vale uma colocação aqui. Você é o único responsável por esta decisão. Somente você tem o poder de escolher se irá utilizar os Juros Compostos a seu favor ou contra você. Os Juros Composto pode ser um vilão ou não! Só depende de você.


Gostando do nosso conteúdo?

 

Fique por dentro das nossas atualizações e receba em primeira mão tudo o que você precisa para aposentar de forma planejada e prosperar financeiramente!

Cadastrar Aqui! É Grátis!